Fusca - Parte 1

A história do Fusca é uma das mais complexas e longas da história do automóvel. Diferente da maioria dos outros carros, o projeto do Fusca envolveu várias empresas e até mesmo o governo de seu país. Para alguns um projeto arcaico, para outros um projeto eterno, feito pra durar.

O Fusca, feito a princípio a pedido de Hitler a Ferdinand Porsche.

Ferdinand Porsche era um austríaco obcecado pela ideia de criar um carro para o povo. Foi um dos maiores engenheiros automotivos da história. Criou um escritório de design automotivo e um de seus clientes era Auto Union Werk, conhecida hoje como Audi, e a fabricante de motores Zündapp.

A história desse pequeno combina com a modernização da Alemanha e de sua recuperação econômica, o famoso ditador alemão Adolf Hitler que ascendia no poder tinha um interesse muito grande por automóveis, tornou-se entusiasta do projeto Volks Wagen, que em alemão significa “carro do povo”. O conceito do carro cativou Hitler pela ideia de “carro popular” logo, governo alemão se interessou pelo projeto e efetuou um investimento de 200 mil marcos para a fabricação de três protótipos para mostrar ao mundo a superioridade tecnológica do país.

Para a montagem do protótipo Hitler exigiu que fossem cumpridas as seguintes exigências:

-O carro deveria carregar dois adultos e três crianças (uma tradicional família alemã da época)

-Deveria alcançar e manter a velocidade média de 100 km/h;

-O consumo de combustível, mesmo com a exigência acima, não deveria ser menor que 13 km/litro;

-O motor que executasse essas tarefas deveria ser refrigerado a ar, pois muitos alemães não possuíam garagens com aquecimento;

-O carro deveria ser capaz de carregar três soldados e uma metralhadora;

-O preço deveria ser menor do que mil marcos imperiais (o preço de uma boa motocicleta na época).

Além das exigências de Hitler, haviam outras exigências da RDA (associação dos fabricantes de veículos da Alemanha (que era contra o projeto no início) e implementou uma série de testes.

Por volta de dezembro de 1934 os primeiros protótipos começaram a ser testados.

Em 1935, com todas exigências cumpridas. Podia ser comprado por quase todos, ao preço de 990 marcos. Equipado com motor refrigerado a ar, sistema elétrico de seis volts, câmbio seco de quatro marchas, que até então só se fabricavam carros com caixa de câmbio até 3 marchas.

A partir daí houve constantes evoluções. Começou a ser equipado com sistema de freios a tambor, caixa de direção tipo “rosca sem fim”, modificações estéticas como quebra vidro, saída única de escapamento, entre outras.

No ano de 1936, o modelo já havia sido reformulado, o Volkswagen era equipado com duas pequenas janelas traseiras. Já em 1938, a fabricação começou a ser feita em série.

A série Type 38 foi apresentada em três variações: sedã, sedã com teto solar e conversível. O motor já era boxer, com 24 CV, pesando 750 quilos.

Devido a Segunda Guerra mundial, a primeira produção do carro teve somente 640 unidades, das quais todas foram distribuídas para o partido nazista.







14 visualizações

Patrocínio: 

Apoio: